Dois pesos e duas medidas

É com uma dose cavalar de vergonha que admito: minha formação como “consumidor” do jornalismo esportivo (e aspirante a uma vaguinha nessa seara) teve como alicerce as colunas de Juca Kfouri. Seus textos virulentos contra a bagunça do calendário brasileiro e as práticas nocivas dos dirigentes me cativavam e eu, na minha gigantesca ingenuidade, acreditava que estava diante de um arauto da ética.

Anos depois, algumas de suas campanhas por mudanças no futebol brasileiro se tornaram realidade, mas não surtiram o efeito esperado: vide a extinção da lei do passe e o Campeonato Brasileiro de pontos corridos. O ídolo ainda estava calçado, mas o barro já aparecia em seu pés.

Nos últimos anos, porém, a verdade surgiu à tona: JK nada mais é que um jornalista cheio de pecados. O primeiro deles é viver fazendo média com seus leitores: elogia e critica apenas unanimidades, não tem coragem para colocar opiniões discordantes ou desafiar o senso comum.

Seu segundo grande defeito é a incrível mania de perseguir, de forma desmedida, seus desafetos. O problema é que muitas vezes acaba atingindo instituições que nada têm a ver com suas inimizades. O caso clássico foi chamar a diretoria do Palmeiras de trouxa por ter contratado seu antagonista, Vanderlei Luxemburgo. Anos antes, os dirigentes do Santos passaram pelo mesmo problema.

Mas o ídolo JK mostrou mesmo seus pés de barro quando seu time, o Corinthians, se sagrou campeão paulista invicto, há algumas semanas: exaltou o Campeonato Paulista como se fosse o maior dos campeonatos, depois de passar o ano inteiro chamando a competição de “Paulistinha”, de forma claramente pejorativa. Aliás, há anos ele faz campanha pela extinção dos estaduais. Alguns exemplos exigem comprovação. Basta ir em seu blógui e checar.

Dia 21 de abril, coluna “O Verdão vive!”

O Palmeiras vive e decide sua vida na quarta-feira que vem, em Santiago, diante do Colo-Colo.

Já imaginou se tivesse o Corinthians, em Presidente Prudente, ou o São Paulo, no Morumbi, pela frente no domingo?

Bem aventurada desclassificação do Paulistinha!

 No mesmo dia, coluna “Ah, os estaduais…”

A média de público do Paulistinha, antes dos jogos decisivos, é de apenas 5722 pagantes por jogo.

"Agora sim, é Paulistão!!"Mas veio o título do Corinthians. E tudo mudou. No dia 4 de maio, JK reproduz em seu blog a coluna que publicara na Folha de S. Paulo, com o sugestivo e batido título “O Campeão dos Campeões”. Ali, ele não ousa utilizar a expressão “Paulistão”, mas o conteúdo entrega a intenção.

O 26º título estadual do Corinthians valeria tanto quanto o 25º, o 24º, o 23º etc, ou seja, todos aqueles posteriores aos anos 80, quando esses títulos já não valiam quase nada e receberam, aqui, o apelido de Paulistinha.

Mas, de fato, este valeu mais.

Pelo simples motivo de ter reintroduzido o Corinthians no rol dos grandes, depois do vexame da Segunda Divisão.

Sim, porque o título veio numa competição em que estavam dois times paulistanos que estão na Libertadores, um deles, o São Paulo, o atual campeão Brasileiro. Que o Corinthians, inclusive, derrotou duas vezes, em casa e fora.

O curioso é que ele só se deu conta de que o Paulista contava com dois times que estão na Libertadores após o título corintiano. Antes disso, ele dizia justamente o contrário: que o campeonato ficava esvaziado porque dois dos postulantes ao título – São Paulo e Palmeiras – estariam mais preocupados em disputar a competição continental.

Para tentar ocultar sua parcialidade, JK diz em outra postagem que o título deste ano foi menor em comparação aos títulos estaduais que o Corinthians faturou em 1922, 1954, 1977 e o bi de 1982/83. Quem conhece um pouco de futebol sabe que esses são títulos antológicos, com um peso até maior que os títulos Brasileiros que o Corinthians conquistou. Se o campeão fosse o Santos, por exemplo, esse título também seria menor que os conquistados pelo Peixe em 1935, 1955, 1978 e 1984.

O barro invadiu as redações. E impregnou a tela dos computadores. Cuidado, leitor”!!!!!

Anúncios

Tags: , , , ,

7 Respostas to “Dois pesos e duas medidas”

  1. Filipe Says:

    Isso não quer dizer que esse canalha tenha qualquer intenção mais ou menos “boa” quando cita o Corinthians, ou fala sobre o Corinthians, ou pior, quando se diz ‘corintiano’.

    Ele só fez isso por conta da enxurrada de Corinthianos que infernizam a sua vidinha paga pela abutraiada, que o torna um dos principais assessores bambi, quase “sem querer”. E para demonstrar isso, basta que vejamos de onde vem a principal parte de sua renda mensal, ou ainda, quem são seus patrões.

    Abraço, parabéns pelo blogue.

  2. alcides drummond Says:

    Belíssimo texto. Parabéns pelo texto. mas…
    Pena que o amigo tenha constatado tão tardiamente o que eu e tantos já inteiro já sabíamos há anos.
    Não perco o meu tempo falando sobre ou de calhordas.
    Você, em sua boa vontade, imaginava que as reformas que ele pregava eram úteis e positivas.
    Eu, não! sempre as combati de frente pois sabia que eram deletérias ao futebol brasileiro. Vide a Lei do Passe.
    O tempo se encarregou de mostrar que eu tinha razão, ao combater, veementemente, aquele a quem chamava pela alcunha de ” coveiro- chefe” do futebol brasileiro, posto que tantos o seguiam em seus delírios de grandeza.
    Epa, olha eu dizendo que não falo de ou sobre ele e já falando.
    Mas o coveiro virou defunto, um defunto muito ruim.
    Não acendamos velas para iluminar-lhe a morte, em mediocridade explícita. Ele respira pelos aparelhos da rede globo de rádio que sempre
    ajudou “a triunfar as nulidades e a assoberbar o poder nas mãos dos maus” parafraseando Rui Barbosa.

    Alcides Drummond
    PS Obrigado por visitar o Observatório Alviverde. Troquemos, sempre,
    comentários.

  3. Ricardo Rayol Says:

    pois é meu amigo, hoje em dia todo o cuidado é pouco. quem sabe que motivações estão pressionando Reinaldos e Mainardis da vida.

  4. Edson Says:

    Caros, se eu fosse vcs entraria no “caso EMTU” recente imbroglio que JK se meteu que está na sessão notícias do excelente blog do Milton Neves.
    Até ameaçaador Juca virou!

    Acompanhem

  5. Ringo Says:

    Grande texto.

  6. Fábio Mendes Says:

    Filipe.
    Se ele fosse parcial apenas por conta da paixão clubística, seria condenável, mas nem tanto. O pior de tudo é que a intenção de seus textos extrapola essas questões comezinhas. Infelizmente, ele caminha junto com o resto da imprensa esportiva. E o que é pior: com um pouco mais de bala na agulha.

    Alcides
    Já tem um bom tempo que percebi as ações danosas de JK na imprensa esportiva. O problema é que foi preciso o crescimento da internet e o surgimento de canais alternativos para que sua máscara caísse para a opinião pública. Uma pena.

    Ricardo
    Esses colunistas me enojam. Cada vez que alguém entra em alguma polêmica, fico imaginando o tanto de merda que irá para o ventilador. Vide a última “questã” entre Marcelo Tas e o Mainardi.

    Edson
    Vou dar uma checada nessa história. Pelo visto, vai ter briguinha entre os dois, também.

    Ringo
    Obrigado pelo elogio. Tô ouvindo sua banda neste exato momento!!!!

  7. Maitê Says:

    Bah, eu não acompanho muito futebol, mas esses dias vi um negócio do milton neves, onde ele dizia que odiava esse senhor. Mas eu pergunto: qual dos dois é pior? pq que eu saiba, os dois são muito ruins.
    Bom, vou parar de falar, pq eu não manjo do assunto, então.

    Parabéns pelo blog!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: