Que feriado? Num sei*

O doutor Emmet Brown deu uma passadinha por aqui e deixou um material que eu tinha encomendado: jornais de 2019 (sim, eles ainda vão existir!). Selecionei as matérias referentes ao Feriadão da Consciência Negra. Confira

 

Feriadão da Consciência Negra: 10 milhões nas estradas

O feriadão prolongado da Consciência Negra deste ano foi responsável por mais um recorde de tráfego nas estradas paulistas: nada menos que dez milhões de pessoas deixaram a capital e a grande São Paulo rumo ao litoral e interior do Estado. Foi o feriado com o maior fluxo de veículos do ano e superou em mais de 20% o volume registrado no feriado de 2014, ano que havia registrado a maior marca.
Segundo a polícia rodoviária, o número de acidentes cresceu 19%. “O crescimento foi grande, mas seguiu a mesma margem de aumento no tráfego. Mas o grande problema é no primeiro dia de folga, quando todos querem viajar o quanto antes para aproveitar o feriadão e por isso abusam da velocidade”, comentou o sargento da polícia rodoviária, Rodrigo Nascimento.
Apesar de apontar a velocidade como causa de muitos acidentes, o policial cita que houve pontos de grande lentidão nas estradas. “Na Dutra os carros ficaram parados durante quatro horas na altura de Arujá e também de São José dos Campos. Na Ayrton Senna, a situação também ficou complicada, assim como em Atibaia, onde a ligação entre a D. Pedro e a Fernão Dias ficou congestionada durante todo o sábado”, comentou Nascimento.


Kassab promete “quadruplicação” de rodovias

O governador de São Paulo, Gilberto Kassab, anunciou que no próximo ano apresentará o projeto executivo para novas duplicações das rodovias Ayrton Senna-Carvalho Pinto, D. Pedro I e do sistema Anchieta-Imigrantes. Segundo ele, os megacongestionamentos registrados em todo o estado no Feriadão da Consciência Negra motivaram o anúncio das obras, que vêm sendo chamadas de “quadruplicação”.
“Infelizmente o estado não está com muito dinheiro em caixa e o ideal seria esperar mais uns anos, mas a situação se mostrou catastrófica e não podemos esperar mais”, afirmou o governador, que admitiu que, para financiar o projeto, as rodovias terão de ganhar novos pedágios. “Teremos uma praça a cada 50 quilômetros, com cobrança nos dois sentidos”.
Kassab afirmou que vai entrar em contato com a presidente da República, Heloísa Helena, para que ela ajude o Estado. “Pretendo me reunir com ela para ver se o governo federal poderá também ‘quadruplicar’ as rodovias Presidente Dutra e Fernão Dias, bem como a Rio-Santos”. Apesar dos anúncios de obras, ele afirmou que a duplicação da Mogi-Bertioga está descartada. “Vamos recuperar alguns trechos e construir terceira pista em outros, nada além disso”.


População desconhece origem do feriado

Há mais de dez anos o Brasil celebra o Dia da Consciência Negra e há exatos cinco anos, aproveita o feriado nacional. No entanto, a grande maioria da população desconhece os acontecimentos históricos que deram origem à data. A reportagem foi às ruas e perguntou às pessoas o que elas sabiam sobre a data. A maioria afirmou não fazer a maior idéia. Quem se arriscou a responder não conseguiu acertar. “Teve a ver com a ditadura militar, não é?”, comentou a dona de casa Dulcinéia de Jesus. Informada sobre Zumbi, ela não deu o braço a torcer: “É verdade. Ele foi torturado pelos militares, não é?”
Jenifer de Couto Prado, estudante de 34 anos, creditou o feriado à libertação dos escravos: “É sobre a princesa Isabel, não é? Não sei muito bem. Parece que já teve esse feriado este ano”.
Apesar da obrigatoriedade do ensino de História Afro-brasileira nas escolas, as crianças também não estão bem informadas sobre a data. Os irmãos gêmeos Rogério Ceni e São Marcos de Oliveira, de 10 anos, atribuem a origem do feriado a um acontecimento esportivo de 1958. “Naquele ano teve Copa do Mundo e vários negros foram afastados da seleção brasileira acusados de serem pipoqueiros. Eu acho que foi isso”, disse Rogério. O irmão endossa a opinião. “Depois houve um movimento para colocaram o Pelé, o Garrincha e o Djalma Santos no time e eles garantiram o título”.
Na verdade, a data de 20 de novembro foi escolhida como o Dia da Consciência Negra por marcar a morte de Zumbi dos Palmares. Em 2003, a lei 10.639, sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, estabeleceu a data como parte do calendário escolar brasileiro. A mesma lei tornou obrigatório o ensino de História e Cultura Afro-Brasileira. Em 2012, o sucessor de Lula, Frank Aguiar, instituiu o feriado obrigatório, aprovado no Congresso graças a emenda constitucional.

* Texto escrito em 2007 e devidamente atualizado

Anúncios

Tags: , ,

Uma resposta to “Que feriado? Num sei*”

  1. kikafranca Says:

    Texto fenomenal como sempre..mas por quê surrupiar o sobrenome da minha amiga? A Jenifer será filha dela? Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: